Olhos vermelhos e doloridos podem indicar a presença de ceratite

Muitos pacientes, ao perceberem os olhos vermelhos, dor intensa e sensação de areia ou cisco nos olhos imaginam que se trata de uma irritação simples e cometem o erro de utilizar medicamentos prescritos anteriormente para essa doença. Entretanto, esses sintomas também podem indicar uma ceratite.

A ceratite é a inflamação da parte mais externa dos olhos, a córnea. A doença surge, especialmente, quando se utiliza incorretamente lentes de contato, causando uma infecção por micro-organismos. A doença possui diferentes tipos e causas:

  • Ceratite herpética: é um tipo comum de ceratite provocada por vírus, principalmente em infecções por herpes ou herpes zoster;
  • Ceratite bacteriana ou fúngica: são provocadas por bactérias ou fungos que podem estar presentes nas lentes de contato ou na água contaminada de lagos, por exemplo;
  • Ceratite por Acanthamoeba: é uma infecção grave causada por um parasita que pode se desenvolver nas lentes de contato, especialmente nas que se usam mais de um dia.

As ceratites infecciosas são graves, podendo piorar rapidamente e, se não forem tratadas, tem risco de perfuração e de se estender para outras áreas do olho, levando à queda importante da capacidade visual e até à cegueira. Embora esse problema ocular tenha cura, o diagnóstico e tratamento, quando realizados precocemente, são fundamentais para o restabelecimento do olho afetado.

Alguns tipos de ceratite não são infecciosas. É necessária sempre a avaliação de um oftalmologista para determinar o tratamento indicado para cada caso. Os tipos de ceratite não infecciosas podem ser causadas por traumas ou alergias.

A ceratite traumática pode ser decorrente de agressões externas, por exemplo, o contato acidental com substâncias tóxicas (ex.: produtos de limpeza) ou quadros de alergia. Quando os olhos ficam expostos de forma desprotegida e prolongada à luz ultravioleta – comum em praia, neve, bronzeamento artificial –, também pode haver agressão à córnea.

Usuários de lentes de contato que não higienizam as lentes e o estojo de maneira adequada (utilizam soro fisiológico, não usam produtos específicos para higiene das lentes e lavam as lentes em água de torneira) ou dormem com as lentes têm risco maior de infecção por bactérias e amebas. Cirurgias oculares e traumas podem levar à infecção ocular, especialmente se não houver uso adequado de colírios.

Para evitar a ceratite, é preciso realizar a correta higienização das lentes de contato. Para evitar a ceratite, é preciso realizar a correta higienização das lentes de contato.

 

Para a prevenção da doença é importante lavar sempre as mãos, evitar coçar os olhos, higienizar diariamente os cílios, limpar adequada e regularmente as lentes de contato e usar da maneira correta os colírios no pós-operatório.

O diagnóstico da ceratite costuma ser feito no consultório do oftalmologista, baseado na queixa e exame realizado com luz especial e lentes de aumento.

 

Fonte: CBO

0 comentários

Deixe seu comentário