Cirurgias Refrativas, qualidade de vida sem o uso de lentes corretoras

Cirurgias oculares podem ter objetivo funcional (para melhora da visão) ou estético. As cirurgias refrativas unem esses dois aspectos, pois corrigem erros de refração e permitem que o paciente deixe de usar lentes de contato ou óculos.

Os sintomas para pacientes com erros de refração (miopia, hipermetropia e astigmatismo) podem ser percebidos quando o olho não focaliza adequadamente o objeto e as imagens perdem a nitidez; desconforto ocular, dores de cabeça, lacrimejamento e ardor nos olhos também alertam para o problema.

É importante observar que nem todas as pessoas podem ser submetidas à cirurgia refrativa; alguns requisitos devem ser avaliados: idade acima de 18 anos - quando o grau tende a estabilizar –, exames oftalmológicos normais e uma variabilidade de grau pequena. 

Tipos de Cirurgia Refrativa

PRK:  A aplicação do laser ocorre diretamente sobre o tecido corneano superficial. Durante o PRK a energia do excimer laser vaporiza o tecido corneano, permitindo esculpir a córnea e modelar sua curvatura para eliminar a miopia, hipermetropia ou astigmatismo.

Após a aplicação do laser, uma lente de contato terapêutica é colocada sobre a córnea. Geralmente a lente é utilizada por no máximo cinco dias do pós-operatória.

Em alguns casos, o oftalmologista pode indicar, em associação ao PRK, o uso de uma substância chamada mitomicina. Essa substância é geralmente indicada em casos de graus mais altos de miopia, astigmatismos e hipermetropias, que não podem ser operadas através do Lasik.

LASIK: A técnica do LASIK difere da PRK porque corrige a visão agindo em uma das camadas internas, ao invés de atuar na superfície da córnea. Com isso, a melhora da visão ocorre, geralmente, em até 24 horas do pós-operatório.

Na técnica do LASIK, após o olho ter sido anestesiado com colírio, um aparelho é colocado entre as pálpebras para impedir que se pisque durante a cirurgia. Em seguida, um instrumento chamado microcerátomo realiza um corte muito delicado e preciso na superfície da córnea com a finalidade de levantar uma fina camada (lamela). Esta mesma etapa pode ser realizada com um outro tipo de laser chamado de Fentosecond Laser. Quando utilizamos o Fentosecond Laser em cirurgias refrativas, chamamos este procedimento de iLasik, ou seja, todas as etapas da cirurgia são feitas à laser.

Após a confecção da lamela deve-se olhar para a luz do Excimer para o laser ser aplicado e remodelar a forma da córnea. Por fim, a lamela é recolocada de volta ao lugar sem necessidade de pontos.

Personalização

Tratar dois pacientes com a mesma doença de forma igual seria o mesmo que não levar em conta a individualidade de cada um. O mesmo acontece com os olhos que, embora tenham o mesmo vício de refração, apresentam variáveis oculares como diâmetro, curvatura e espessura de córnea, profundidade de câmara anterior, comprimento axial etc.

Cirurgia Refrativa Personalizada é uma nova tecnologia desenvolvida para as Cirurgias Refrativas, tanto no PRK como no Lasik. Permite um tratamento mais preciso e personalizado para cada olho. Diferentemente do PRK ou Lasik convencional, a Cirurgia Refrativa Personalizada varre pequenas imperfeições da superfície ocular, chamadas de aberrações.

Novas tecnologias permitem maior segurança na realização de cirurgias refrativas. Novas tecnologias permitem maior segurança na realização de cirurgias refrativas.

 

Este tipo de cirurgia aumenta a segurança e melhora a qualidade da visão, além de reduzir eventuais dificuldades na visão noturna, como halos e reflexos, representando um avanço tecnológico importante tanto para pacientes quanto para médicos.

É importante que o procedimento seja realizado com oftalmologistas experientes e especializados em cirurgias da córnea.

0 comentários

Deixe seu comentário